A IMPORTÂNCIA DO EXAME FÍSICO PARA O ENFERMEIRO QUE ATUA NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Autores

  • Simone Travassos de Morais Andrade UCES - Universidad de Ciencias Empresariales y Sociales
  • Suely Aragão Azevêdo Viana
  • Patrícia Tavares de Lima
  • Laís Rodrigues de Lima

Palavras-chave:

Exame físico. Enfermeiros. Estratégia Saúde da Família.

Resumo

RESUMO

A pesquisa aborda o exame físico como parte integrante do Processo de Enfermagem e sua importância para o enfermeiro que atua na Estratégia Saúde da Família. O exame físico consiste na aplicação de técnicas propedêuticas de inspeção, ausculta, palpação e percussão, que somado às outras técnicas de semiologia, dá ao enfermeiro o subsídio necessário para o diagnóstico, e consequentemente para a execução de um plano de cuidado que beneficie o paciente, sendo dessa forma, essencial para o bom desempenho do Processo de Enfermagem. Trata-se de uma pesquisa de campo de caráter qualitativo que aborda um novo conhecimento da importância do exame físico realizado na Estratégia Saúde da Família e a importância que o enfermeiro, o responsável pela realização da técnica, dá ao procedimento. Para tal, foram entrevistadas oito enfermeiras de diferentes Unidades de Saúde e os dados foram apresentados e analisados em forma de gráficos e depoimentos. Através da pesquisa observou-se que as enfermeiras que participaram das entrevistas demonstraram considerar importante o exame físico dentro do seu Processo de Trabalho e relataram utilizar o procedimento em sua rotina, apesar de não executá-lo de forma completa e adequada, ou seja, realizar o exame cáfalo-caudal, uma vez que alguns fatores relacionados à estrutura da Unidade, à demanda e à aspectos pessoais do próprios pacientes dificultam a execução.

 

Descritores: Exame físico. Enfermeiros. Estratégia Saúde da Família. 

Referências

REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. (Série E. Legislação em Saúde). Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf>. Acesso em: 18 mar. 2015.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.; SILVA, R. da. Metodologia científica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

Conselho Federal de Enfermagem (COFEN). Resolução n° 358/2009. Disponível em: <http://novo.portalcofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html>. Acesso em: 18 mar. 2015.

COSTA, E. M. A. Saúde da Família: Uma abordagem Multidisciplinar. 2 ed. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2009.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2010.

MINAYO, M. C. de S. O desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 9 ed. São Paulo-Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 2006.

SANTOS, N.; VEIGA, P.; ANDRADE, R. Importância da anamnese e do exame físico para o cuidado do enfermeiro. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-71672011000200021&script=sci_arttext>. Acesso em: 20 mar. 2014.

REVISTA BRASILEIRA SAÚDE DA FAMÍLIA. Brasília, 2006. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/revistas/revista_saude_familia11.pdf>. Acesso em: 20 mai. 2015.

SILVA, C. M. C.; TEIXEIRA, E. R. Exame físico e sua integralização ao processo de enfermagem na perspectiva da complexidade. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141481452011000400010&script=sci_arttext>. Acesso em: 20 mar. 2014.

SILVA, V. G.; MOTTA, M. C. S.; ZEITOUNE, R. C. G. A prática do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: o caso do município de Vitória/ES. 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i3.5278>. Acesso em: 05 abr. 2014.

Publicado

2016-08-12

Edição

Seção

Artigos Originais