IMPACTO DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS SOBRE A CAPACIDADE FUNCIONAL E ALTERAÇÕES ANTROPOMETRICAS IDOSAS

Autores

  • Sabrina Fontes Domingues
  • Leonardo Bernardo Magalhães

Palavras-chave:

Exercício físico, capacidade funcional, antropometria, idosas

Resumo

O envelhecimento gera mudanças nas dimensões do corpo humano e no estilo de vida dos idosos, principalmente no que se refere às suas qualidades físicas, podendo provocar a perda de independência e o isolamento social e, portanto, reduzir sua qualidade de vida. Por isso, este estudo teve como objetivo avaliar a influência de um programa de exercícios físicos sobre a capacidade funcional e alterações antropométricas em um grupo de idosas. As avaliações foram realizadas em três momentos, ao longo de 26 sessões de treinamento, em quatro idosas (69,5 ± 10,47 anos) participantes de um projeto de ginástica localizada na cidade de Ubá-MG. Verificou-se a antropometria através da aferição da massa corporal e estatura, para a classificação do índice de massa corporal, e a circunferência da cintura e do quadril para cálculo da relação cintura quadril. A avaliação da autonomia funcional das idosas, foi realizada através da bateria de testes proposta por Rikli e Jones (1999). Houve aumento apenas na força de membros inferiores (p = 0,04). Tal resultado pode ocasionar melhoria na capacidade funcional ao contribuir para as atividades que necessitam de força moderada no cotidiano e auxiliar na manutenção do equilíbrio em situações desfavoráveis. Quanto às respostas antropométricas não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas, todavia a manutenção de alguns destes índices pode ser um indício positivo diante processo do envelhecimento. Diante disso, conclui-se que o programa de treinamento proposto teve influência positiva apenas no aumento de força de membros inferiores.

Referências

ALVES JÚNIOR E. D., PAULA FL. A prevenção de quedas sob o aspecto da promoção da saúde. Fitness e Performance Journal. v. 7, n.2, p:123-129, 2008.

American College of Sports Medicine - ACSM. Exercise and physical activity for older adults. Medicine and Science in Sports and Exercise, v. 30, n. 6, p. 992-1008, 1998.

BANDEIRA, F. M. et al. Comparação entre a cifose torácica de idosos sedentários e praticantes de atividade física pelo método flexicurva. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 12, n. 5, p. 381-386, 2010.

BARROSO, R.; TRICOLI, V.; UGRINOWITSCH, C. Adaptações neurais e morfológicas ao treinamento de força com ações excêntricas. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 13, n. 2, p. 111-22, 2005.

BOMPA, T. O. Periodizaçao no treinamento esportivo. São Paulo: Editora Manole Ltda., 2001.

CARVALHO, J. A. M. D..; GARCIA, R. A. O envelhecimento da populaçäo brasileira: um enfoque demográfico. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 3, p. 725-733, 2003.

CERVI, A.; FRANCESCHINI, S. do C. C.; PRIORE, S. E. Análise crítica do uso do índice de massa corporal para idosos. Revista de nutrição, v. 18, n. 6, p. 765-775, 2005.

DANTAS, E. H. M.et al. A preponderância da diminuição da mobilidade articular ou da elasticidade muscular na perda da flexibilidade no envelhecimento. Fitness e Performance Journal, v. 1, n. 3, p. 12-20, 2002.

DAVINI, R.; NUNES, C. V. Alterações no sistema neuromuscular decorrentes do envelhecimento e o papel do exercício físico na manutenção da força muscular em indivíduos idosos. Revista Brasileira de Fisioterapia, v. 7, n. 3, p. 201-207, 2003.

DE ARAUJO SILVA, T. A. et al. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 46, n. 6, p. 391-397, 2006.

DIAS, R. M. R. et al. Impacto de oito semanas de treinamento com pesos sobre a força muscular de homens e mulheres. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 11, n. 4, p. 224-8, 2005.

FABRÍCIO, S. C. C.; RODRIGUES, R. A. P. Revisão da literatura sobre fragilidade e sua relação com o envelhecimento. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste-Rev Rene, v. 9, n. 2, 2012.

FIATARONE-SINGH, MA Composição corporal e controle de peso em adultos mais velhos. Perspectivas em ciência do exercício e medicina esportiva: exercício, nutrição e controle de peso. Carmel: Cooper, v 11, p. 243-88, 1998.

FIDELIS, L. T.; PATRIZZI, L. J.; DE WALSH, I.A.P.I. Influência da prática de exercícios físicos sobre a flexibilidade, força muscular manual e mobilidade funcional em idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 16, n. 1, p. 109-116.

FRANCISCHI, R. P.; PEREIRA, L. O.; LANCHA JR, A. H. Exercício, comportamento alimentar e obesidade: revisão dos efeitos sobre a composição corporal e parâmetros metabólicos. Revista Paulista de Educação Física. v. 15, n. 2, p. 117-40, 2001

GODOY-MATOS, A. F. et al. Diretrizes brasileiras de obesidade 2009/2010.Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), 2009.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) Cidades@. Brasil. Disponível em: http//: www.ibge.gov.br/cidades. Acesso em: 03 de Abril de 2014.

MACIEL, A. C. C.; GUERRA, R. O. Prevalência e fatores associados ao déficit de equilíbrio em idosos. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 13, n. 1, p. 37-44, 2005.

MAIOR, A. S.; ALVES, A. A contribuição dos fatores neurais em fases iniciais do treinamento de força muscular: uma revisão bibliográfica. Revista Motriz, v. 9, n. 3, p. 161-8, 2003.

MATSUDO, S. M. M. Envelhecimento, atividade física e saúde. BIS, Boletim do Instituto de Saúde, p. 76-9, 2009.

MATSUDO, S. M.; MATSUDO, V. KR; BARROS NETO, T. L. Impacto do envelhecimento nas variáveis antropométricas, neuromotoras e metabólicas da aptidão física. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 8, n. 4, p. 21-32, 2000.

MATSUDO, S. M.et al. Evolução do perfil neuromotor e capacidade funcional de mulheres fisicamente ativas de acordo com a idade cronológica. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 9, n. 6, p. 365-76, 2003.

MINISTÉRIO DA SAÚDE, DATASUS. Dicas em Saúde, 2009. Disponível em: HTTP//:http://datasus.saude.gov.br/ Acesso em: 05 jun. 2013.

NORTON, K.; OLDS, T. Antropométrica: um livro sobre medidas corporais para o esporte e cursos da área de saúde. Porto Alegre: Artmed, 2005.

PEDRINELLI, A.; GARCEZ-LEME, L. E.; NOBRE, R. S. A. O efeito da atividade física no aparelho locomotor do idoso. Revista Brasileira de Ortopedia, v. 44, n. 2, p. 96-101, 2009.

PEDRO, E. M.; AMORIM, D. B. Análise comparativa da massa e força muscular e do equilíbrio entre indivíduos idosos praticantes e não praticantes de musculação. CONEXÕES: Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, v. 6, 2008.

PEREIRA, F. D. et al. Comparação da força funcional de membros inferiores e superiores entre idosas fisicamente ativas e sedentárias. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 12, n. 3, p. 417-427, 2009.

PEREIRA, S.; BUKSMAN S.; PERRACINI M.P.Y.L.; BARRETO K.M.L.; LEITE V.M.M. Quedas em idosos. Projeto Diretrizes. Associação Médica Brasileira; Conselho Federal de Medicina. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia; 2008.

RIKLI R. E.; JONES C. J. Development and validation of a functional fitness test for communityresidingolder adults. Journal of Aging and Physical and Activity; v. 7, p 129-61,1999.

ROBERTSON, R. J.; GOSS, F. L.; RUTKOWSKI, J.;LENZ, B.; DIXON, C.; TIMER, J. et al. Concurrent Validation of the OMNI Perceived Exertion Scale for Resistence Exercise. Medicine and Science in Sports and Exercise, Hagerstown, v. 35, no. 2, p. 333-341, 2003.

ROSA, T. E. D. C., BENÍCIO, M. H. D. A., LATORRE, M. D. R. D. D., & RAMOS, L. R. (2003). Fatores determinantes da capacidade funcional entre idosos. Revista de Saúde Pública, 37(1), 40-48.

SILVA, C. M. et al. Efeito do treinamento com pesos, prescrito por zona de repetições máximas, na força muscular e composição corporal em idosas. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 8, n. 4, p. 39-45, 2006.

SILVA, M. da; RABELO, H. T. Estudo comparativo dos níveis de flexibilidade entre mulheres idosas praticantes de atividade física e não praticantes. Movimentum–Revista Digital de Educação Física, Ipatinga, v. 1, p. 1-15, 2006.

SILVA, V. M. et al. Nível de agilidade em indivíduos entre 42 e 73 anos: efeitos de um programa de atividades físicas generalizadas de intensidade moderada. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 23, n. 3, 2002.

VERAS, R. Envelhecimento populacional contemporâneo: demandas, desafios e inovações. Revista de Saúde Pública, v. 43, n. 3, p. 548-54, 2009.

WHO, Expert Consultation. Appropriate body-mass index for Asian populations and its implications for policy and intervention strategies. The Lancet, v. 363, n. 9403, p. 157, 2004.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Physical status: the use and interpretation of anthropometry: report of a WHO expert committee. 1995.

Publicado

2016-08-12

Edição

Seção

Artigos Originais