NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA DE ADOLESCENTES DE UMA CIDADE DO INTERIOR DE MINAS GERAIS DURANTE A PANDEMIA DO SARS-CoV-2

Everton Soares Teixeira, Ana Amélia de Souza Pereira, Isabella Toledo Caetano, Victor Neiva Lavorato

Resumo


O objetivo do presente estudo foi avaliar o nível de atividade física e a qualidade de vida de adolescentes de uma cidade do interior de Minas Gerais durante a pandemia do Sars-CoV-2. Participaram do estudo 15 adolescentes com idade entre 14 e 17anos. Os participantes responderam ao Questionário Internacional de atividade físicas (IPAQ e a outro para avaliar a qualidade de vida, o Pediatric Quality of Life Inventory TM versão 4.0 (PedsQL 4.0). Do total de avaliados, 73,3% eram ativos ou muito ativos. Dos domínios da qualidade de vida, o físico e o social apresentaram-se mais pronunciados em relação ao domínio emocional. Não houve correlação entre o nível de atividade física e a qualidade de vida. Conclui-se que a maior parte dos adolescentes era ativa, mas apresentou níveis baixos de qualidade de vida.

 


Palavras-chave


Qualidade de vida. Nível de atividade física. Adolescentes.

Texto Completo:

PDF

Referências


BARUKI, S. B. S. et al. Associação entre estado nutricional e atividade física em escolares da Rede Municipal de Ensino em Corumbá - MS. Rev Bras Med Esporte, Niterói, v. 12, n. 2, p. 90-94, 2006.

BRITO, U. S; ROCHA, E. M. B. Percepção de jovens e adolescentes sobre saúde e qualidade de vida; Rev. Bras. Promoç. Saúde, v. 8933, p. 1-11, 2019.

CESCHINI, F. L. et al. Nível de atividade física em adolescentes brasileiros determinado pelo Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ). Revista Brasileira de Ciência e Movimento, v. 24, n. 4, p. 199-212, 2016.

CGI - COMITÊ GESTOR DA INTERNET. Relatório sobre o uso de internet, 2015.

/COSTIGAN S. A. et al. The health indicators associated with screen-based sedentary behavior among adolescent girls: a systematic review. Journal of Adolescent Health, p. 1-11, 2012.

FERRARI-JUNIOR, G. S. et al. Atividades motoras e qualidade de vida de adolescentes de Paranaguá, Paraná. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 23, 2018.

GUEDES, D. P. et al. Aptidão física relacionada a saúde de escolares: Programa Fitnessgram. Rev Bras Med Esporte, v. 18, n. 2, 2012.

KOWALSKI, K. C.; CROCKER, P. R.; KOWALSKI, N, P. Validade convergente do questionário de atividade física para adolescentes. Pediatr. Exerc. Sci., 1997, v. 9, n. 4, p. 342-352.

KLATCHOIAN, D. A. et al. Qualidade de vida de crianças e adolescentes de São Paulo: confiabilidade e validade da versão brasileira do questionário genérico Pediatric Quality of Life InventoryTM versão 4.0. J. Pediatr, v. 84, n. 4, p. 308-15, 2008.

LOBO, R. et al. Pratica de atividades física como fator potenciador de variáveis psicológicas e rendimento escolar de alunos do ensino primário. Revista Iberoamericana de Psicología del Ejercicio y del Deporte, v. 10, n. 1, p. 85-93, 2015.

MATSUDO et al. Questionário Internacional de atividade Física de São Caetano do Sul. CEFAFISCS & Programa Agita São Paulo. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 6, n. 2, 2001.

MELO, P. W. V. Aplicação do PEDSQL-4.0 para análise da qualidade de vida em adolescentes. Revista CPAQV, v. 2, n. 12, 2020.

MOREIRA, C. D. et al. Nível de aptidão física para o desempenho esportivo em participantes adolescentes do projeto esporte em ação. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 11, n. 64, p. 74-82, 2017.

MUROS, J. J. et al. The association between healthy lifestyle behaviors and health-related quality of life among adolescents. Jornal de Pediatria, v. 93, n. 4, p. 406-412, 2017.

PEREIRA, E. F.; TEIXEIRA, C. S.; SANTOS, A. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Rev. Bras. Educ. Fís. Esporte, v. 26, n. 2, p. 241-50, 2012.

POETA, L. S.; DUARTE, M. F. S.; GIULIANO, I. C. B. Qualidade de vida relacionada à saúde de crianças obesas. Revista da Associação Médica Brasileira, v. 56, n. 2, p. 168-172, 2010.

POLL, F. A. et al. Qualidade de vida de adolescentes em excesso de peso. II Congresso Brasileiro Interdisciplinar de Promoção da Saúde, 2016. Disponível em: http://www.unisc.br/site/seminario_ppgps/anais/3401mod.pdf. Acesso em: 07 nov. 2020.

VARNI, J. W. et al. The PedsQL ™* 4.0 como medida de saúde da população pediátrica: viabilidade, confiabilidade e validade. Ambul. Pediatr, v. 3, n. 6, p. 329-41, 2003.

ZAWADZKI, D.; STIEGLER, N. F. F.; BRASILINO, F. F. Aptidão e atividade física relacionados à saúde de adolescentes entre 11 a 14 anos. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 13, n. 83, p. 444-453, 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.