NÍVEL DE ANSIEDADE E DEPRESSÃO EM ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS FISICAMENTE ATIVOS E SEDENTÁRIOS

Tiago Dias Pereira, Davi Correia da Silva, Anselmo Gomes de Moura, Gustavo Leite Camargos

Resumo


O bem-estar psicológico pode ser associado a vários fatores, dentre eles a prática regular de exercícios físicos; entretanto o sedentarismo está em constante crescimento, consequentemente diminuindo o nível de qualidade de vida das pessoas. Assim, o objetivo do presente estudo foi verificar o nível de ansiedade e depressão em estudantes universitários fisicamente ativos e sedentários. Trata-se de um estudo de campo descritivo de corte transversal. A pesquisa foi realizada na cidade de Ubá, localizada no interior de Minas Gerais, no segundo semestre de 2020, com a participação de homens e mulheres universitários. Foram aplicados: Questionário Sócio Demográfico (SDM); Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ-curto); e o Inventário de Depressão e Ansiedade traço-estado (IDATE). Foi realizada uma análise descritiva de todas as variáveis e dos instrumentos de coleta. Foram realizados os testes de Shapiro-Wilks e Correl. Adotou-se um nível de significância de p <0,05 para ambos testes estatísticos. O software Info Stat foi utilizado para todos os cálculos. Com relação aos níveis de ansiedade e depressão entre estudantes universitários fisicamente ativos e sedentários, destacou-se a alta prevalência de Ansiedade tanto Traço como Estado, independentemente do nível de atividade física e do gênero. Diante dos resultados obtidos, observa-se que não houve resultados significativos que demonstrassem associação significativa entre os níveis de atividade física e os de ansiedade e depressão em estudantes universitários, mas deve-se destacar a prevalência de ansiedade em todas as análises e comparações.


Palavras-chave


Bem estar psicológico. Exercício físico. Sedentarismo. Qualidade de vida.

Texto Completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, F. N.; SANTANA, V. S.; PINHO, A. R.; ALMEIDA, F. N.; SANTANA, V. S. Estudo epidemiológico dos transtornos mentais em uma população de idosos, área urbana de Salvador, BA. J Bras Psiquiatra, v. 33, p.114-20, 1984.

ANDRADE, L.; GORENSTEIN, C.; VIEIRA, A. H.; TUNG, T. C. Psychometric properties of the Portuguese version of the State-Trait Anxiety Inventory applied to college students: factor analysis and relation to the Beck depression Inventory. Brazilian Journal of Medical and Biological Research, v. 34, p. 367-374, 2001.

ASSOCIATION A.P. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais - DSM-5. Artmed Editora, 2014.

BAUMAN, A. E. U. Updating the evidence that physical activity is good for health: an epidemiological review. J Sci Med Sport, v. 7, n. 1, p. 6-19, 2004.

BERGER, B. G. Exercise and mood: a selective review and synthesis of research employing the profile of mood states. J Appl Sport Psycho, v. 12, p. 69-92, 2000.

BING, A. F.; MELO, G. R.; MORETTI; PIRES, R. O.; PERES, K. G.; PERES, M. A. Associação entre depressão e doenças crônicas: um estudo populacional. Revista Saúde Pública. v. 46, n. 4, p. 617-23, 2012.

BONIFACIO, S. P.; SILVA, R. C. B.; MONTESANO, F. T.; PADOVANI, R. C. Investigação e manejo de eventos estressores entre estudantes de psicologia. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, v. 7, 2011.

CALAIS, S. L.; CARRARA, K.; BRUM, M. M.; BATISTA, K.; YAMADA, J. K.; OIIVEIRA, J. R. Stress entre calouros e veteranos de jornalismo. Revista Estudos de Psicologia, v. 24, n. 1, p. 69-77, 2007.

CASTRO JUNIOR, E. F.; BARRETO, L. A.; OLIVEIRA, J. A. A.; ALMEIDA, P. C.; LEITE, J. A. D. Avaliação do nível de atividade física e fatores associados em estudantes de medicina de Fortaleza-Ceará. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Brasília, v. 34, n. 4, p. 955-967, 2012.

CEVADA, T.; CERQUEIRA, L. S.; MORAIS, H. S.; SANTO, T. M.; POMPEU, F. A.; DESLANDES, A. C. Relação entre esporte, resiliência, qualidade de vida e ansiedade. Revista de Psiquiatria Clínica. v. 39, n. 3, p. 85-89, 2012.

COELHO, F. J. M.; RAMOS, L. R. Epidemiologia do envelhecimento no nordeste do Brasil: resultados de inquérito domiciliar. Revista Saúde Pública, v. 33, p. 445-53, 1999.

FERRARI, A. J.; CHARLSON, F. J.; NORMAN, R. E.; PATTEN, S. B.; FREEDMAN, G.; MURRAY, C. J. et al. Burden of depressive disorders by country, sex, age, and year: findings from the global burden of disease study, 2010. PLoS medicine, v. 10, n. 11, 2013.

FIOROTTI, K. P.; ROSSONI, R. R.; BORGES, L. H.; MIRANDA, A. E. Transtornos mentais comuns entre os estudantes do curso de medicina: prevalência e fatores associados. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. v. 59, n. 1, p. 19-23, 2010.

GUIMARÃES, A. M. V.; SILVA, NETO, A. C.; VILAR, A. T. S.; ALMEIDA, B. G. C.; ALBUQUERQUE, C. M. F.; FERMOSELI, A. F. O. Transtornos de ansiedade: um estudo de prevalência sobre as fobias específicas e a importância da ajuda psicológica. Semina [Internet]. 2015 [cited 2018 Jan 11]; 3(1):115-28. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/ index.php/fitsbiosaude/article/view/2611/1497 Acesso em: 01 abr. 2020.

HASKELL, W. L.; LEE, I. M.; PATE, R. R.; POWELL, K. E.; BLAIR, S. N.; FRANLIN, B. A.; MACERA, C. A.; HEATH, G. W.; THOMSON, P. D.; BAUMAN, A. Physical activity and public health: updated recommendation for adults from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Medicine and Science Sports Exercise, v. 39, n. 8, p. 1423-34, 2007.

KESANIEMI, Y. A. et al. Dose-response issues concerning physical activity and health: an evidence-based symposium. Med Sci Sport Exerc., v. 33, p. 351-58, 2001.

LIMA, M. C. P.; DOMINGUES, M. S.; CERQUEIRA, A. T. Prevalência e fatores de risco para transtornos mentais comuns entre estudantes de medicina. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 6, p. 1035-41, 2006.

LIU, C. I.; WANG, S. J.; TENG, E. L.; LIN, C. C.; LIN, K. N. et al. Depressive disorders among older residents in a Chinese rural community. Psychological Med., v. 27, p. 943-9, 1997.

MELLO, M. F.; MELLO, A. A. F.; KHON, R. (Orgs.). Epidemiologia da saúde mental no Brasil. Porto Alegre: Artemed, 2007.

OLIVEIRA. C.; ANDRADE, D.; ANDRADE, E.; BRAGGION, G. L; MATSUDO, S.; ARAUJO, T.; MATSUDO, V. Questionário Internacional de Atividade Física (I Paq): estudo de valldade e reprodutibilidade no Brasil. Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul - CfLAFlSCS & Programa Agita São Paulo, 2001.

OMS - Organização Mundial de Saúde - Organização Pan-Americana de Saúde. Relatório sobre saúde no mundo 2001: saúde mental: nova concepção nova esperança. Geneva: OMS: 2001.

OMS - Organização Mundial de Saúde. Depression and other common mental disorders: global health estimates [Internet]. Geneva: WHO; 2017 [cited 2017 Nov 04]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/254610/1/WHO-MSD-MER-2017.2-eng.pdf. Acesso em: out. 2020.

PEREIRA, M. G. Epidemiologia: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995.

RAMOS, L. R.; ROSA, T. E. C.; OLIVEIRA, Z. M.; MEDINA, M. C. G.; SANTOS, F. R. G. Perfil do idoso em área metropolitana na região sudeste do Brasil: resultados de inquérito domiciliar. Rev Saúde Pública, v. 27, p. 87-94, 1993.

REED, J.; BUCK, S. The effect of regular aerobic exercise on positive-activated affect: a meta-analysis. Psychol Sport Exerc., v. 10, n. 3, p. 581-94, 2009.

SAKAE, U. T. M.; PADAO, D. L.; & JORDANA, L. K. Sintomas depressivos em estudantes da área da saúde em uma universidade no sul de Santa Catarina - UNISUL. Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul, 54(1), 38-43, 2010.

SAMPAIO, J. C. Qualidade de vida no âmbito da saúde mental: Roeder MA. Atividade física, saúde mental e qualidade de vida. Rio de Janeiro: Shape, 2003. p. 29-52.

SILVA, R. S.; SILVA, I.; SILOVA, R. A.; SOUZA, L.; TOMAZ, E. Atividade física e qualidade de vida. Revista Ciência & Saúde Coletiva. v. 15, n. 1, p.115-22, 2010.

SILVEIRA, C. et al. Saúde mental em estudantes universitários. ActaMed Port., n. 24, v. supl. 2, 2011.

SOUZA, T. F.; SANTOS, S. F. S.; JOSÉ, H. P. M. Práticas de atividade física no lazer e barreiras percebidas dessa prática em acadêmicos de um curso de educação física no nordeste do Brasil. Revista Pensar a Prática. v. 13, n. 1, p. 1-15, 2010.

TONDO, J.; SILVA, T.; ROTH, M. 2011. Barreiras percebidas e nível de atividade física de universitários residentes na casa do estudante da Universidade Federal do Sul do Brasil. Lecturas: Efdeportes. 2011.

VORCARO, C. M. R.; LIMA-COSTA, M. F. F.; BARRETO, S. M.; UCHOA, E. Unexpected high prevalence of 1-month depression in a small Brazilian community, the Bambuí Study. Acta Pychiatrica Scand. v. 7, n. 3, 2001.

WHO - World Health Organization. Depression and other common mental disorder: global health estimates. World Health Organization, Geneva, 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.