ARTE E ORIGAMI A FAVOR DA SAÚDE MENTAL:

George Luiz Alves Luiz Determinado, Gabriela Silveira Meireles Silveira Gabi, Letícia Vieira da Silva Vieira Silva, Patrícia Cecília de Melo Villas Boas Melo boas

Resumo


A saúde mental é considerada um dos maiores problemas do século XXI. Luta-se arduamente para que novas ações e políticas sejam implementadas nessa área, visando superar uma visão ultrapassada de tratamento.  Buscando estabelecer uma relação entre a saúde mental e a Arte, descrevemos nesse artigo uma intervenção realizada junto a usuários/as do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) II de Ubá/MG pelo projeto de extensão intitulado “Arte e Origami a favor da saúde mental: uma proposta interdisciplinar envolvendo a Medicina, a Pedagogia e a Psicologia para beneficiar os/as usuários/as do CAPS II de Ubá/MG”, vinculado ao Centro Universitário Governador Ozanam Coelho (UNIFAGOC). O projeto atuou em uma das instituições do CAPS junto aos/às usuários/as, através de alunos/as-monitores/as do projeto. Utilizou-se para a realização deste trabalho as teorizações de Carl Gustav Jung e de Nise da Silveira, dentre outras. As intervenções foram feitas em grupo, por meio de oficinas, utilizando como recurso a Psicologia de Grupos e técnicas específicas para a confecção das dobraduras. Por meio deste projeto, foi possível oferecer uma atenção humanizada aos/às usuários/as do CAPS II de Ubá/MG, pautada no respeito aos direitos humanos, na autonomia e na liberdade dos sujeitos ali presentes, buscando combater estigmas e preconceitos. Foi visível a evolução individual e grupal dos/as usuários/as. Notamos que a Arte foi capaz de transformar subjetivamente cada um/a dos/as integrantes dessa proposta, visto que identificamos avanços significativos na autoestima e na socialização por parte dos/as usuários/as. Consideramos o projeto um sucesso e um exemplo para outras práticas em saúde mental em uma perspectiva transformadora.

Palavras-chave: Saúde mental, CAPS, Arte, Origami.


Texto Completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ANDRADE, L. Q. “Terapias expressivas”. São Paulo: Cortez, 2000.

BARROS, Mayra Fernanda; FERREIRA, Leonardo Carrijo. A arte como estratégia de intervenção psicoterapêutica. Psicologia e Saúde em Debate, n. 2 (supl 2), p. 1-4, novembro, 2016.

COQUEIRO, Neusa Freire; VIEIRA, Francisco Ronaldo Ramos; FREITAS, Marta Maria Costa. Arteterapia como dispositivo terapêutico em saúde mental. Acta Paul Enferm, v. 23, n. 6, p. 859-862, 2010.

FONTELLES, Mauro José; SIMÕES, Marilda Garcia Simões; FARIAS, Samantha Hasegawa Farias; FONTELLES, Renata Garcia Simões. Metodologia de pesquisa científica: diretrizes para elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista Paraense de Medicina, v. 23, n. 3, 2009.

JUNG, Carl Gustav. Chegando ao inconsciente. In: JUNG, C. G.; VON FRANZ, M. L. (Orgs.). O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1977.

JUNIOR, Benilton Bezerra; TUNDIS, Silvério Almeida; COSTA, Nilson do Rosário (Orgs.). (Cidadania e loucura: políticas de saúde mental no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 1987).

LIMA, Jéssica Rodrigues. Arteterapia: a arte em favor da saúde mental, 2015. Disponível em: http://redehumanizasus.net/90110-arteterapia-a-arte-em-favor-da-saude-mental/. Acesso em: 28 out. 2019.

REIS, Alice Casanova dos. Arteterapia: a Arte como instrumento no trabalho do psicólogo. Psicologia, Ciência e Profissão, v. 34, n. 2, p. 142-157, 2014.

SILVEIRA, Nise da Silveira. O mundo das imagens. Paulo: Ática, 2001.

STUCKEY, H. L; NOBEL, J. A conexão entre arte, cura e saúde pública: uma revisão da literatura atual. Am J Public Health, v. 100, n. 2, p. 254-263, 2015.

TEIXEIRA, Manoel Olavo. O nascimento da psiquiatria no Brasil. In: ________. Noção de pessoa e institucionalização dos saberes psicológicos no Brasil. Rio de Janeiro: IPUB/UFRJ, p. 42-78, 1997.

TORRE, E.H.; AMARANTE, P. Protagonismo e subjetividade: a construção coletiva no campo da saúde mental. Ciênc. Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 73-85, 2001.

URRUTIGARAY, Maria Cristina. Arteterapia: a transformação pessoal pelas imagens. Rio de Janeiro: Wak, 2008.

VASQUES, Márcia Camargo Penteado Corrêa Fernandes. A Arteterapia como Instrumento de Promoção Humana na Saúde Mental. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Faculdade de Medicina, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita. Botucatu, SP: UEP, 2009.

YASUI, Silvio. Rupturas e encontros: desafios da reforma psiquiátrica brasileira. Tese (Doutorado em Ciências na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz). Rio de Janeiro: MSFOF, 2006. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/4426/2/240.pdf. Acesso em: 08 abr. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.