A PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL: POSSIBILIDADES E DIFICULDADES NO PROCESSO DE INTERVENÇÃO

Eloisa Noé Eloisa, Maria Alice Abranches Maria Alice

Resumo


O presente estudo abordou o itinerário percorrido pela acadêmica, enquanto estudante de Psicopedagogia, durante o estágio institucional em uma escola pública de Educação Básica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de revisão bibliográfica, que teve por objetivo propor um projeto de intervenção psicopedagógico à equipe escolar a partir da observação de alunos e da própria instituição no intuito de minimizar as diferenças destes alunos em relação à turma. O processo de investigação recorreu à observação atenta dos profissionais e alunos, anamnese, atividades orais, escritas e psicomotoras como instrumentos de diagnóstico. Os resultados da pesquisa revelaram facilidades e limites do professor e dos gestores da instituição frente às dificuldades encontradas e obstruções no sistema organizacional da escola provenientes de uma gestão autocrática que impossibilitou um trabalho preventivo no âmbito institucional, interferindo negativamente no sucesso escolar dos alunos e na atuação efetiva dos demais profissionais da escola.


Texto Completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOPEDAGOGIA. Código de ética do psicopedagogo. Disponível em

http://www.abpp.com.br/documentos_referencias_codigo_etica.html. Acesso em 15/01/2018

A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos: orientações para o trabalho com a linguagem escrita em turmas de crianças de seis anos de idade / Francisca Izabel Pereira Maciel, Mônica Correia Baptista e Sara Mourão Monteiro (orgs.). – Belo Horizonte : UFMG/FaE/CEALE, 2009.

BOSSA, Nádia. A Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática. Porto Alegre: Artmed, 2007.

BATISTA, Antonio Augusto Gomes et al. Capacidades da Alfabetização. Belo Horizonte: Ceale/FaE/UFMG, 2005. 96 p. (Coleção Instrumentos para a Alfabetização- 2)

FERNÁNDEZ, Alícia. A inteligência aprisionada: abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Porto Alegre: Artmed, 1991.

LE BOULCH. Educação psicomotora: A Psicocinética na Idade Escolar. Tradução de Jeni Wolff. 2 Ed. Porto Alegre: Artes Medicas, 1987.

FERREIRO, Emília; TEBEROSKY Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985.

LIBÂNEO, José Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. ed. Goiânia: MF Livros, 2008.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Educação. Dispõe sobre a organização e o funcionamento do ensino nas Escolas Estaduais de Educação Básica de Minas Gerais e dá outras providências. Belo Horizonte, 2012. Res. nº 2197 de 26 de outubro de 2012.

PAÍN, Sara. Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. PortoAlegre: Artes Médicas, 1992.

PRODANOV, Cleber Cristiano. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico] : métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico / Cleber Cristiano Prodanov, Ernani Cesar de Freitas. –

ed. – Novo Hamburgo: Feevale, 2013. Disponível em http://www.feevale.br/Comum/midias/8807f05a-14d0-4d5b-b1ad-1538f3aef538/E- book%20Metodologia%20do%20Trabalho%20Cientifico.pdf. Acesso em 15.01.2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Faculdade de Educação. Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita. Coleção: Orientações para a Organização do Ciclo Inicial de Alfabetização; 2. Belo Horizonte: CEALE/SEE-MG.2003

VIGOTSKI, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

WEISS, Maria Lúcia L. Psicopedagogia Clínica: uma visão diagnóstica dos problemas de aprendizagem escolar. 10ª ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.