ANÁLISE DA DIVERSIDADE DENTRO DO ENSINO MÉDIO DA ESCOLA ESTADUAL DEPUTADO CARLOS PEIXOTO FILHO EM UBÁ-MINAS GERAIS

Tatiana Costa Coelho, Leidiany Ribeiro leidi

Resumo


O presente estudo tem por identificar as diversidades presentes no ambiente da escola pública, verificar como a escola tem trabalhado as diferenças existentes através da Escola Estadual Deputado Carlos Peixoto Filho, em Ubá-Minas Gerais, especificamente com os alunos do ensino médio do período da manhã. O intuito é identificar as diversidades presentes no ambiente da escola pública e verificar como a escola tem trabalhado as diferenças existentes. A pesquisa tem o caráter quantitativo e foi realizada por meio de coleta de dados numérico, realizado com os discentes, que apontarão as diferenças, comportamentos e outras ações dos indivíduos em relação à diversidade presente nas escolas públicas. Concluiu-se que há diversidade no âmbito escolar analisado, a qual pode ser responsável pelo declínio do rendimento escolar dos jovens do ensino médio, uma vez que essas diferenças revelam um discurso promotor da desigualdade e discriminação.


Texto Completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Ulisses Ferreira de. O déficit cognitivo e a realidade brasileira. In: AQUINO, Julio Groppa (Org.). Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. 4. ed. São Paulo: Summus Editorial, 1998.

BRASIL. Constituição (1988). Artigo nº 205, de 05 de outubro de 1988. Constituição Federal. Atividade Legislativa: legislação federal.

BRASIL. Gênero e diversidade sexual na escola: reconhecer diferenças e superar preconceitos. Disponível em: http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/bib_cad4_gen_div_prec.pdf. Acesso em: 15 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil (1988). Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: Acesso em: 30 mar. 2019.

BRASIL. Declaração Universal dos Direitos Humanos, 1998. Disponível em: https://www.unidosparaosdireitoshumanos.com.pt/what-are-human-rights/universal-declaration-of-human-rights/articles-01-10.html. Acesso em: 20 mar.2019.

CARVALHO, Rosita Edler. Removendo barreiras para a aprendizagem. 4. ed. Porto Alegre: Mediação, 2002. p. 70, 75,106, 111, 120, 174.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2010.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. São Paulo, 3. ed. McGraw-Hill do Brasil, 1983.

CHIARA, Ivone Di; KAIMEN, Maria Júlia; CARELLI, Ana Esmeralda. Normas de documentação aplicadas à área de Saúde. Rio de Janeiro: Ed. E-papers, 2008.

DORÉ, R. Réussir l’intégration scolaire: la déficience intellectuelle. Montreal (Quebec): Les Éditions Logiques, 1996.

DUARTE, C. L. Censo 2010 contabiliza mais de 60 mil casais homossexuais. G1 Brasil, 2011.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Disponível em: www.ufrgs.br/cursopgdr/downloadsSerie/derad005.pdf. Acesso em: 27 abr. 2019.

FRANCISCO, Wagner de Cerqueira. Diversidade cultural no Brasil. Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/brasil/a-diversidade-cultural-no-brasil.htm. Acesso em: 25 abr 2019.

GOOGLE APPS SCRIPT. Overview of Google Apps Script. 2017. Disponível em: https://developers.google.com/apps-script/overvie. Acesso em: 22 maio 2019.

GOMES, Luis Antonio. Divisões da fé: as diferenças religiosas na escola. In: AQUINO, Julio Groppa (Org.). Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. 4. ed. São Paulo: Summus Editorial, 1998.

GOMES, Nilma Lino. Indagação sobre o currículo: diversidade e currículo. In: BEAUCHAMP, Jeanete; PAGEL, Sandra Denise; NASCIMENTO, Aricélia Ribeiro do. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Brasília, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/ arquivos/pdf/Ensfund/ indag4.pdf. Acesso em: 25 abr. 2019.

HELMAN, C. Cultura, saúde e doença. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2000.

LIBÂNEO, J. Carlos. Didática. Coleção Magistério 2º Grau. Série formação de professores. 1ª reimpressão. São Paulo: Cortez, 1991.

ARROYO, Miguel G. "Os educandos, seus direitos e o currículo". In: MOREIRA, Antonio Flávio; ARROYO, Miguel. Indagações sobre currículo. Brasília: Departamento de Políticas de Educação Infantil e Ensino Fundamental, nov. 2006, p.49-81. BRASIL, MEC-SEESP. LEI N.º 10.436 de 24 de abril de 2002.

MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos. Verbete pedagogia tradicional. Dicionário Interativo da Educação Brasileira - Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: https://www.educabrasil.com.br/pedagogia-tradicional/. Acesso em: 02 abr. 2019.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília, DF, 1997. Disponível em: www.portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livros101.pdf. Acesso em: 22 mar. 2019.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2001.

MOTT, Luiz. Homossexualidade: mitos e verdades. 1. ed. Salvador: Grupo Gay da Bahia, 2003.

PAIM, Eliane Rosário; FRIGÉRIO, Neide Aparecida. O desafio de trabalhar a diversidade cultural na escola. UNIVEN Faculdades Integradas. Empresa Capixaba de Ensino, Pesquisa e Extensão S/A SCP. sd (2004).

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/ arquivos/pdf/pluralidade.pdf. Acesso em: 15 abr. 2019.

PERRENOUD, P. A formação dos professores no século XXI. Porto Alegre: Artmed, 2002.

RÚDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa cientifica. 26. Petrópolis: Vozes, 1999.

SANTIAGO, Y. (28 de junho de 2009). Dicionário informal. Disponível em: https://www.dicionarioinformal.com.br/diversidade/ Social, C. (2012). Censo 2010: número de católicos cai e aumenta o de evangélicos, espíritas e sem religião. IBGE.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 25. ed. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1991.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. São Paulo: Cortez, 1991.

VEJA, D. (2017). Veja quem são as pessoas mais ricas do Brasil, segundo a “Forbes”. Disponível em: https://veja.abril.com.br/economia/veja-quem-sao-as-pessoas-mais-ricas-do-brasil-segundo-a-forbes/. Acesso em: 08 mar. 2019.

VYGOTSKY, Lev Semenovitch. A formação social da mente. Martins Fontes: São Paulo, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.